História

Minha foto

A empresa CORE ESPORTES tem como objetivo principal auxiliar nossos clientes a atingirem suas metas de desempenho físico e melhor qualidade de vida; com trabalho baseado em conhecimento científico e experiência na prática do desporto; é a ciência aplicada a prática

Nos baseamos em métodos científicos comprovados, planilhas personalizadas e um constante contato entre professor e aluno, assim temos alcançado ótimos resultados em provas de Triathlon (Sprint a IronMan), Corrida (5Km a Maratona), Natação e Ciclismo ou, mesmo, na busca por melhor qualidade de vida.

Venha experimentar nosso método inovador e saber o porque de nossos excelentes resultados.

domingo, 5 de dezembro de 2010

IRONMAN COZUMEL




Olá amigos, abaixo alguns comentários para aqueles que pretendem correr o IronMan Cozumel e um pouco de como foi minha prova.
Uma coisa a se pensar é a logística para se chEgar a Cozumel, eu fiz a rota aeroporto de Guarulhos – Cidade do México – Cancun – Cozumel, sendo o trecho de Cancun para Cozumel de Ferry Boat, totalizando 26hs de viagem desde as 2hs antes do vôo até a chegada ao hotel. Mas creio que a melhor opção seria Brasil – EUA – Cozumel, pois a viagem seria mais rápida e a um custo similar à opção anterior. Quanto a hospedagem, uma boa opção é estar próximo à chegada, pois para o dia da prova há transporte fornecido pela organização que passa nos hotéis em horários pré-determinados.
A prova em si é muito bem organizada, a natação é em uma baía de águas calmas e muito clara, com mais de 20 metros de visibilidade ao fundo, e com temperatura em torno de 26 graus, perfeita. Procurei fazer uma natação mais conservadora, sem grandes desgastes, encaixei-me em um grupo e segui, à frente cerca de 1 minuto havia outro grupo, pesei o custo-benefício e fiquei onde estava, o atleta que estava à frente saiu um pouco da rota e nadamos uns 100 metros a mais, saí da água inteiro e pensando não posso abusar no pedal pois o vento e calor castigam bastante por aqui, roda fechada é proibida. Como queria fazer uma boa corrida e estava bem treinado para isto, segui em um ritmo moderado no pedal, alimentação e hidratação como nos treinos, com possíveis quebra de protocolo quando necessário. No Km 130 não estava nada bem, vomitei em cima da bike e as coisas começaram a melhorar.
Transição 2 relativamente rápida e vamos correr, eram cerca de 12:30hs e o sol estava de rachar, então havia planejado uma corrida para pacer de 4´20” a 4´25” o que seria plausível. Comecei a corrida me sentindo meio estranho, com muito calor e pesado, então pensei ...faltam 42Km...comecei a sofrer e a travar uma batalha mental; lembrei de alguns exercícios que apliquei nos treinos e comecei a prestar atenção no mar, tentando esquecer o quanto estava duro correr.....funcionou! Veja algumas dicas neste blog na sessão pensamentos de grandes atletas, no link do Mark Allen.
A organização falou uma coisa e fez outra, as marcações estavam em milhas com apenas duas em Km (Km5 e Km21), perdi o “pacer” e corri mais rápido que o planejado nos primeiros 7Km, paguei mais tarde.
Um dos pontos altos da prova é a torcida na maratona, juntamente com os postos de hidratação, a corrida acontece na cidade em 3 voltas de 14Km, nesta há um posto de hidratação a cada Km com gel, comidas e bebidas das mais variadas...”Nota 10”!
Como o calor era insano, mudei a estratégia e comecei a hidratar-me e molhar o corpo a cada Km...com isso não fiz a corrida pretendida, mas também não quebrei. Para mim não foi uma prova boa, também não foi ruim, mas fiquei feliz com o resultado, porque foi uma prova DURA!

Depois posto as fotos!

Obrigado aos amigos e familiares pela torcida; vocês estavam comigo!

domingo, 14 de novembro de 2010

"Proponha-se a atingir o Sol e você poderá não o alcançar,mas sua seta voará muito mais alto do que se fosse apontada para um objeto ao mesmo nível de você."
Joel Hawes

28 DE NOVEMBRO

7 MODOS DE ENFRENTAR AS DIFICULDADES DA VIDA

1 - TENHA A CONVICÇÃO DE QUE DEUS ESTÁ NO CONTROLE DE TUDO


2- NÃO TENHA MEDO DE SITUAÇÕES NOVAS


3 - TIRE PROVEITO DAS DIFICULDADES


4 - NÃO ESCUTE PALAVRAS DE DESÂNIMO E DÚVIDA


5 - LEMBRE-SE DE QUE VOCE PRÓPRIO É UMA SOLUÇÃO


6 - ESTEJA SE FORTALECENDO INTERIORMENTE CADA MANHÃ


7 - AGRADEÇA A DEUS PELA OPORTUNIDADE DE LUTAR E VENCER


"A NOSSA VISÃO DA VIDA DETERMINARÁ O NOSSO SUCESSO OU FRACASSO..."

EDILSON RAMOS

quarta-feira, 19 de maio de 2010

IRON MAN, CONSELHOS ÚTEIS, MARK ALLEN

O link para este texto está na coluna direita do Blog, mas como muitas pessoas não reparam neste link, segue o texto abaixo....É INSPIRADOR....APROVEITEM E BOA PROVA

Sua postura mental e a forma de abordar a prova é tudo

Mark Allen

O seu sucesso em um IronMan no dia da prova pode ser atribuído a um único fator: a sua postura e atitude diante da prova. O motivo é simples: todo o trabalho físico já foi feito e não tem nada mais que pode ser melhorado agora. Outro fator importante é a alimentação na prova, mas isso também você já cansou de treinar.
O que realmente pode transformar uma prova boa para uma prova "maravilhosa" é a sua atitude mental. E melhorando isso você estará próximo de se tornar um atleta completo.
Mesmo que você esteja no melhor dos seus dias, ter a cabeça no lugar é a chave. Se não for o melhor dos seus dias, será o diferencial entre desistir e terminar a prova.
Vamos olhar para o Havaí 2001. Ventos fortíssimos chamaram a atenção de todos os atletas. A maioria terminou, mas alguns que ficaram pensando no "vento" fizeram erros bobos de alimentação e no ritmo da prova que não estavam acostumados. Resultado: não terminaram a prova.
Como você reage a intensidade da prova? Estressado ou tranqüilo? Você encara as dificuldades do dia como um desafio prazeroso ou se pergunta por que entrou nessa loucura? Você fica pensando como será na chegada ou como você deve correr e qual ritmo seguir? Você já está procurando uma desculpa se por acaso desistir ou você já sabe que vai terminar? Você estará dando tudo? Ou não, porque de repente você acha que as condições da prova não são ideais para terminar. Saber responder essas perguntas é o caminho para se tornar um atleta completo.
Aqui vão quatro sugestões que ajudarão a melhorar sua atitude mental. Elas te darão forças independentes das forças externas negativas (tempo, cansaço, ...).

Acalme sua cabeça.
É o fator mais importante para uma prova perfeita.
Uma atitude negativa (está difícil, esta doendo, porque estou aqui, ...) já acaba com a sua prova antes dela começar. Se for impossível achar algo positivo nessa hora, faça outra coisa para acalmar seu pensamento. Pare de pensar na prova e, por exemplo, se concentre na sua respiração. Conte quanto tempo você inspira e expira. Preste atenção no seu corpo e o que está acontecendo a sua volta sem julgar nada. Isso irá liberar a sua cabeça e talvez assim você começará de novo a se sentir melhor.

Paciência
O tempo da prova é muito relativo. As vezes ele passa muito rápido em algumas fases da prova. Em outras ele demora mais. Se perder a paciência a prova será interminável. O segredo é fazer a prova passar rapidamente. O segredo é se lembrar que ninguém está te obrigando a estar ali naquele momento. Foi você quem escolheu estar ali, portanto você não deve se cobrar nada. Essa é uma prova de paciência e você deve rir dos momentos mais absurdos. Parece obvio, mas lembre-se disso quando começar a perder a paciência e querer que a prova termine o mais rápido possível. Acalme seu pensamento e a velocidade aumentará.


Seja grato
O contrário disso é se concentrar em o quanto a prova é difícil. Errado. Ser grato é agradecer que você está vivo e é capaz de fazer isso. Comece a prestar atenção naquilo que está a sua volta. Uma das melhores formas de fazer isso é prestar atenção na natureza a sua volta, ou se não tiver nada bonito, lembre-se de algum lugar maravilhoso que você já esteve (uma montanha, um lago, algo que te marcou). É nessa hora que você começa a esquecer a dor e os problemas ali enfrentados e agradecer por estar vivo.
"Obrigado por estar aqui" é o que temos que dizer. Isso vai livrar sua mente, pois mesmo sentindo esse desconforto você estará lidando muito bem com isso, pois é um privilegiado de estar ali naquela hora, trabalhando seu corpo em todas as possibilidades possíveis.


Melhorando a autoconfiança
A maioria de nós constrói essa confiança durante o período de treinamento e preparação, se sentindo mais fortes e dizendo para nós mesmos o quanto estamos bem. Só que tudo isso pode evaporar no momento que é dada a largada.
Quando a realidade da prova não bate com aquela imagem positiva que você imaginou, uma guerra mental começa a acontecer, e quando isso ocorre à prova vence e você perde.
Então aqui vai um outro modelo para desenvolver sua autoconfiança. Isso tem muito a ver com a forma de cada um de nós ver a vida e confiar nela. Muitos não confiam nela e sempre tem uma atitude negativa, sempre se preocupando em o que pode acontecer de ruim no lugar de aceitar a vida como ela é, ou seja, com o lado ruim e o BOM.
Essa forma de autoconfiança diz que não importa o quanto a prova seja difícil. A sua vida e a vida continuam. Pensando assim, você vai encarar os desafios da prova como ela é, ou seja, sem dar muita (ou pouca) importância aos problemas.
Isso não tem nada a ver com o resultado da prova e nem com a "prova ideal" que você tinha imaginado. E como os dois não estão ligados, as possibilidades de transformar as atitudes negativas em positivas são enormes.
Uma das formas mais fáceis para melhorar essa forma de autoconfiança é perguntando o que eu estou refletindo. Uma atitude negativa? Fraqueza? Um pobre coitado? Ou estou refletindo gratidão, paciência, força, humildade e a aceitação de que posso lidar com qualquer dificuldade. Refletir sobre atitudes positivas irá transformá-lo em um atleta completo.
Você deve sempre praticar essas técnicas como se estivesse praticando as técnicas de nado, ciclismo e corrida. Experimente, cada vez que treinar / competir pode ser a chance de colocá-las em prática. Lembre-se que um atleta completo sempre irá trabalhar o corpo e a cabeça. Um atleta fisicamente preparado, mas que "amarela" quando estiver sobre pressão não é completo. Quando as duas coisas se juntam e são constantemente melhoradas, o atleta estará completo e a "prova perfeita" estará muito próxima.

Mark Allen

Tradução: Tiziano Borgonovo

WWW.BIOECOESPORTES.COM.BR

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Economia de Movimento e Ganho de Rendimento na Corrida

A economia de movimento(EM) na corrida é definida como sendo a minimização da energia dispendida para uma dada velocidade de corrida sub–máxima e é determinada pelo consumo de oxigênio no “steady-state”, bem como pela freqüência ventilatória. O que isto quer dizer ? Que se tivermos dois corredores com a mesma massa corporal, e idênticos níveis de consumo máximo de oxigênio (VO2 Máx) aquele que tiver uma maior EM, dispenderá menos energia para correr a uma dada velocidade e por conseqüência conseguirá manter-se por mais tempo nesta velocidade.
Quais são os principais fatores que influenciam na economia de movimento? Existe uma série de fatores, fisiológicos e biomecânicos, tais como o aumento no número de mitocôndrias (“centros respiratórios” do tecido muscular), aumento na quantidade das enzimas oxidativas (enzimas auxiliadoras da liberação de energia), a habilidade do tecido muscular para armazenar e liberar a energia elástica, estando este fator diretamente relacionado a um ótimo nível de elasticidade e resistência muscular. Ressalta-se ainda a minimização da energia despendida quando do contato dos pés com o solo e também da oscilação vertical do corpo; todos estes fatores podem fazer com que se gaste menos energia para uma dada tarefa.
Como melhorar minha economia de movimento? Em todo o mundo os centros de pesquisa em fisiologia do exercício, bioquímica do exercício e biomecânica, estudam com afinco como se obter uma maior economia de movimento, tendo-se, atualmente, chegado a dois fatores principais para a EM, são eles o treinamento de força (musculação) e o treinamento em altitude, sendo este em montanha ou com simuladores de altitude.
O treinamento de força para este fim têm características específicas quanto ao número de dias a serem trabalhados, os grupos musculares a serem mais exigidos, o número de repetições, a carga (peso), o ritmo de execução dos exercícios e o intervalo entre as séries. Com este trabalho não será aumentada sua velocidade para um dado esforço, mas, certamente será possível correr por mais tempo em uma determinada velocidade. Ou seja, seu corpo aprenderá a correr com menos dispêndio de energia.
No próximo post abordaremos o treinamento de força voltado para a economia de movimento.

WWW.COREBUCK.COM.BR

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Glicerol tornou-se doping a partir de 2010

Caros Amigos, pesquisando a lista da Agência Mundial Anti Doping; uma notícia inusitada. O Glicerol, (ou Glicerina Bi-Destilada), passou a ser considerado doping a contar do início do ano de 2010, estando classificado como possível agente mascarante de outras substâncias. Ou seja,via de regra o glicerol é usado para a retenção de líquido em ambientes de extremo calor por reter líquido no plasma, agindo asim como um expansor plasmático, isto por sua vez poderia mascarar a detecção de substâncias dopantes de fato!

WWW.BIOECOESPORTES.COM.BR

domingo, 11 de abril de 2010

Lima - Peru


Oi Amigos, iniciei oficialmente o calendário de provas deste ano com uma etapa da Copa Pan Americana no Peru. Natação em água a 14 graus, ciclismo em clima agradável, já na corrida o calor estava incômodo, uma vez que a largada se deu ás 11:00 hs, ou seja, saímos para correr cerca de 13:.... hs. Pequei na natação, depois que comecei a treinar com um grupo de nadadores melhorou, mas isto têm apenas 3 semanas, vejamos daqui a 4/5 meses.
Outra lição, minha roupa de borracha agarrou no pé na hora de tirar, isto já havia acontecido antes, via de regra sou preocupado com os detalhes....deixei passar este e perdi uma excelente roda que conectou com o primeiro pelotão..."infelictas factun". detalhes fazem a total diferença.

domingo, 14 de março de 2010

XTERRA


No último sábado participei do XTERRA, circuito nacional, etapa de São Lourenço. Estância hidromineral, no Sul de Minas, região montanhosa e muito bonita. A organização deste evento têm feito um excelente trabalho,prova muito bem organizada.
Pedal e corrida com subidas intermináveis onde por vezes andar ou empurrar a bike não é questão de opção...Breve posto fotos do Evento!

sexta-feira, 5 de março de 2010

Como Gastar seu Dinheiro no Triathlon

Todos os dias somos bombardeados com novos produtos e serviços, muitos deles com preços exorbitantes, com a promessa de melhoria da aerodinâmica e, conseqüentemente, do desempenho na bike. Mas, em que vale a pena investir?

Para responder a essa questão o Cycling News publicou uma excelente reportagem, que comentamos aqui em primeira mão. Quanto tempo, quanto custo e se vale a pena são algumas das perguntas que tentaremos responder. Reunimos também dados da revista Triathlete de abril de 2008.
A equipe do Cycling News passou um dia com o engenheiro da Specialized Mark Cote, fazendo testes em pistas e em um túnel de vento com um atleta profissional. Os testes foram todos baseados em séries de 16km e 1km, com velocidade constante de 40km/h. Os dados possuem uma margem de erro de apenas 2%, em relação ao total da potência mensurada.
A primeira comparação foi entre uma bicicleta de ciclismo – uma Specialized Tarmac SL2 com rodas HED Bastogne, e uma bike completa de contra-relógio – uma Specialized Transition com rodas HED3 Trispoke e um capacete aero Specialized TT3. As diferenças são impressionantes.
Os testes mostraram que a configuração para contra-relógio poupava entre 60 e 70 watts, rodando a 40km/h. Enquanto o equipamento de ciclismo exigia uma potência entre 280-290 watts para manter essa velocidade, o equipamento aero exigia apenas 220 watts, uma diferença de mais de 20%. Em termos de tempo, a diferença perfazia um total de 9 segundos a cada quilômetro, ou 2’14” a cada 16 quilômetros. Nos 180km do Ironman a diferença é de 25 minutos!
Você poderia usar essa diferença para melhorar seu tempo no ciclismo ou manter seu tempo e sair para a corrida muito mais inteiro. Mas o que causou tanta diferença? A bike, as rodas ou o capacete?
Os testes mostraram que andando na posição aero, com aerobar, você economiza em torno de 30 watts se estiver a 40km/h. Já uma bicicleta específica para contra-relógio vai poupar-lhe 20 watts aos mesmos 40km/h. Um capacete aerodinâmico gera uma economia de 9 watts a 40km/h, enquanto um par de rodas aerodinâmicas economizam 10 watts.
Obviamente, um capacete é muito mais barato do que uma bicicleta de contra-relógio. Dessa forma, a comparação deve se dar pelo custo do watt, ou seja, quanto custa cada watt economizado. A tabela abaixo mostra essa comparação.

Item///Faixa de Custo (R$)*///R$/watt economizado a 40km/h
Aerobar///300-2.500///10-83
Capacete aerodinâmico///250-1.200///28-133
Bike de contra-relógio///4.000-25.000///200-1250
Rodas aerodinâmicas///1.500-15.000///150-1500

* Valores aproximados, sujeitos a variações.

Cabe a você decidir o que vale mais a pena , mas algumas considerações são válidas.
Primeiro, alguns itens menos importantes, também fazem diferença. O artigo supramencionado da revista Triathlete mostra que o melhor custo-benefício é investir em roupas que não balancem e aumentem seu arrasto. Pneus também são pontos importantes a um custo relativamente baixo. Esses itens não foram considerados no teste mostrado, pois foram tomados com pressuposto, ou seja: esqueça uma bike aero se você sequer usa roupas e pneus adequados!
A análise da revista mostra que o capacete aerodinâmico é o terceiro melhor custo benefício. Esse parece ser um item a ser considerado em suas compras futuras, ao contrário de itens como rolamentos de cerâmica, pedais de titânio e outros itens muito caros. Estes só devem ser considerados quando os pontos principais forem atendidos.
Segundo, você pode comprar ganhos de velocidade, mas nada disso adianta se não treinar direito e não tiver um bom treinador. Esses, portanto, devem ser investimentos prioritários.
Fonte: Mundo Tri

WWW.BIOECOESPORTES.COM.BR

sábado, 9 de janeiro de 2010

Nado Perfeito




Patrocínio

Quando o tema é patrocínio para o esporte, os ânimos se exaltam, os atletas culpam as empresas e Federações/Confederações pela falta de apoio financeiro! Ao longo dos anos no esporte tenho lido algumas matérias versando sobre o assunto, na maioria das vezes coloca-se o atleta no papel de vítima.
Sem patrocínio o atleta não sobrevive, pelo menos do esporte, daí os programas governamentais voltados para quem não têm patrocínio, como o bolsa atleta do Governo Federal, bolsa talento esportivo do Estado de São Paulo e outros......Ao longo dos anos tive a oportunidade de conhecer a situação econômica de atletas de outras Nações, e "lá fora" patrocínio também não cai do Céu.
Existem motivos pelos quais um empresário decide patrocinar um atleta, seja pela exposição na mídia que este atleta trará a sua marca, seja pela paixão do empresário ao esporte ou mesmo para, e simplismente,para ajudar o atleta; enfim seja qual for o motivo ninguém irá bater em nossa porta oferecendo patrocínio, exceto se fossemos um Michel Phelps.

Quanto as Federações e Confederações ou mesmo a ITU, vejo pontos que poderiam ser melhorados; tomo como exemplo o Biatlon de Inverno, esporte olímpico que combiana esqui com tiro e muito difundido na Europa, EUA e Ásia; em 2006 e 2007 tive uma passagem por este Esporte, e ficava impressionado com a atenção dada pela mídia; para angariar o apoio da mídia o esporte foi moldado visando atender as exigências televisivas. A exposição na Mídia atrai grandes patrocinadores, e isto por sua vez beneficia os atletas,dirigentes....alavancando o esporte; em cada etapa de Copa Europa em que o atleta largasse (bastava largar), independente da classificação na chegada recebia 500 euros, e haviam cerca de duas etapas por mês; no início da temporada o atleta recebia materiais que se somados giravam em torno de R$15000,00, materiais doados pelos próprios patrocinadores, Adidas, Anchutz (carabinas), Rosignol (esquis) etc,etc.... Havia ainda os patrocinadores que pela exposição de mídia, buscavam atletas a serem patrocinados.

O Esporte é um grande negócio e o atleta não é vítima do processo, fomos nós que escolhemos estar alí, e para mudar a situação cada um deve fazer sua parte; os dirigentes batalhar por mais mídia e patrocinadores, os atletas buscar patrocinadores através de um agente de marketing ou outro que venda sua imagem como algo rentoso ao possível patrocinador e por fim seria inteligente a troca da transferência de responsabilidade pela falta de apoio; pela busca incessante do apoio.

Aos amigos do esporte que buscam patrocínio; desejo muito talento na venda de seu produto; sua imagem !!!

GO AHEAD

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Escolhas

Copa Pan Americana de La Paz na Argentina, Copa Pan Americana de Viña Del Mar no Chile....por opção fiquei fora das duas....Neste início de temporada estou focando meus pontos deficientes, como conseqüência optei por fazer um trabalho de Base um pouco maior, treinos longos, musculação de hipertrofia, trabalhando com uma equipe multidisciplinar de profissionais (Nutricionista, Pscicólogo do Esporte, Fisiologista, um técnico específico para a Natação)........Espero começar a colher os frutos do meio para o fim deste semestre.......Vejamos!!!